Conecte-se conosco

Notícias

Bolsa de jovem desaparecida é encontrada dentro de açude em Soledade

Publicado

em

A bolsa de Paula Perin Portes, 18 anos, foi localizada na tarde desta terça-feira (4) em um açude nas margens da BR-332 em Soledade, no norte do RS. Dentro da bolsa, estavam documentos, carregador de celular, maquiagem e duas pedras. As buscas no bairro Ipiranga envolveram Polícia Civil e Corpo de Bombeiros.

A primeira parte dos trabalhos ocorreu pela manhã em outro local, na localidade de Margem São Bento, na divisa dos municípios de Soledade e Espumoso. Em uma área de mata fechada e açude, policiais, bombeiros, mergulhadores e cães farejadores fizeram buscas pelo corpo mas não encontraram a jovem. Novas diligências para localizar o cadáver serão feitas nos próximos dias.

Dentro da bolsa, estavam documentos, carregador de celular, maquiagem e duas pedras
Salete Canello / Arquivo Pessoal

A nova tentativa de localizar o paradeiro da jovem ocorreu uma semana após a Polícia Civil criar uma força-tarefa para desvendar o mistério do desaparecimento de Paula. Seis policiais civis trabalham com dedicação exclusiva ao caso. A investigação ganhou reforço de quatro agentes especializados em desaparecimento e homicídio:

— Neste local que estávamos à tarde fomos buscar especificamente a bolsa. Acreditamos que houve uma mudança de lugar do corpo durante a investigação. E continuamos nas buscas. Isso demonstra que estamos no caminho certo. É uma prova muito importante dentro do inquérito que será associada a outras provas que reforçam a materialidade do crime — afirma a delegada Fabiane Bittencourt.

Paula Perin Portes desapareceu na madrugada de 11 de junho após ir a um encontro com Micael Willian Rossi Ortiz, de 22 anos, em uma casa em Soledade. Segundo a polícia, na casa onde esse encontro aconteceu, estavam Paula e mais cinco homens. Quatro destes homens saíram com a jovem carregada. Micael Willian Rossi Ortiz está foragido. Dois homens estão presos e um quarto está em prisão domiciliar. A polícia trata o caso como homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

Contraponto

Responsável pela defesa de Ortiz, o advogado Manoel Pedro Castanheira afirma que não sabe qual o paradeiro do cliente. “Com relação ao fato, não posso afirmar se ele tem ou não envolvimento pois não tivemos contato com ele. Só ele, quando se apresentar, poderá prestar essa informação. Até porque no vídeo não há nenhuma informação do que ocorreu no interior da casa.”

Fonte: Gaúcha ZH

O conteúdo do RS Agora é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.

Notícias da Semana