Conecte-se conosco

Justiça

Madrasta deve inocentar o pai e alegar morte acidental no caso Bernardo

Publicado

em

O julgamento do caso Bernardo entra no quarto dia nesta quinta-feira (14) e grande expectativa é para o depoimento da ré Graciele Ugulini, madrasta do menino. Ela será a segunda a falar aos jurados. Ontem o pai Leandro Boldrini já prestou seus esclarecimentos. Ele afirmou que quem planejou e executou o crime foram Graciele e a amiga Edelvânia Wirganovicz. Os três são réus no processo pela morte do garoto, assim como Evandro Wirganovicz.

Créditos: Cissa Battistella/ Rádio Uirapuru

O que circula dentro do Tribunal do Júri é que a madrasta vai inocentar o pai e dizer que a morte de Bernardo foi acidental.
De acordo com o advogado de Graciele, Vanderlei Pompeo de Mattos, a sua cliente não pretende silenciar, mas que vai depender da postura do Ministério Público.

O conteúdo do RS Agora é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.

Notícias da Semana